Boletim extraordinario Turismo proyectos colaborativos

 

Proyecto CRECEER

Pode cadastrar na plataforma de vigilância do projecto  CRECEER em: https://ade.hontza.es/es/user/register. Deve-se ingressar um nome de utente e uma direcção de correio electrónico. A seguir, um administração recebe a solicitação e a valida para outorgar acesso completo à plataforma.

Entre as vantagens de aceder à plataforma figuram:

  • Receber assessoramento para criar seu próprio sistema de vigilância competitiva.
  • Acesso directo às fontes que alimentam o sistema.
  • Acesso a todo o armazém de notícias validadas e comentadas. Há que destacar que as notícias validadas não sempre se incluem nos boletins, já que nestes se faz uma selecção para que não resulte excessivamente volumoso.
  • Definir um sistema próprio de alertas por e-mail para receber novidades.
  • Participar em foros e debates já criados e criar os seus próprios.

Este boletim emite-se de forma periódica no marco do projecto CRECEER, e nele se analisam oportunidades tecnológicas e comerciais que podem contribuir ao desenvolvimento do turismo rural em nossas zonas rurais.

O projecto CRECEER está cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

 

Pode visualizar boletins anteriores fazendo clique AQUIPara mais informação sobre o projecto CRECEER visite nosso site https://www.creceer.org/pt/inicio-2/Proyecto CRECEERSe deseja não receber mais boletins, envie um correio à direcção info@creceer.org com o assunto “BAIXA BOLETIM”.

TURISMO RURAL
Adaptar uma área segura nos hotéis para os clientes com PCR negativo
No artigo que se acompanha se destaca uma iniciativa no sector do turismo de camping posta em marcha pelo Camping Trillas Platja Tamarit, na província de Tarragona, que tem sido um do primeiros alojamento turísticos de Europa em habilitar uma “zona ultra segura”, à qual só podem aceder aqueles clientes que aceitem submeter a um teste PCR (para detectar a presença do  coronavirus) e dêem negativo. O projecto consistiria em adaptar um área dos hotéis que estivesse separada para os clientes com PCR negativo. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/adaptar-un-area-segura-en-los-hoteles-para-los-clientes-con-pcr-negativo?destination=dashboard
Criar uma oferta adaptada ao conceito do turismo de silêncio.
Há um tipo de viagens que põem o descanso e a desconexão no centro: o turismo do silêncio. Tem como pilares o sonho, o silêncio, o relaxamento e a meditação, já que se procura uma desconexão da vida rotineira através de diversas acções encaminhadas ao retiro temporário. O documento que se enlaça descreve experiências relativas ao turismo do silêncio em Andaluzia. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/crear-una-oferta-adaptada-al-concepto-del-turismo-de-silencio?destination=dashboard
Adaptação dos hotéis ao teletrabalho e aos trabalhadores nómadas
Propõe-se a re-invenção dos hotéis nesta época de pandemia de coronavirus. Converter parte do hotel em espaços de escritório, com serviços similares aos que se podem obter num coworking, pode ser uma opção que poderia incrementar rendimentos, proporcionando tecnologia e espaços adaptados. Os trabalhadores nómadas podem-se hospedar no hotel durante longos períodos, fazendo uso de suas instalações comuns para trabalhar ou, inclusive, desde sua própria habitação. Também poder-se-iam obter rendimentos extras alugando instalações comuns adaptadas para o teletrabalho dos residentes no âmbito geográfico de alcance do hotel. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/adaptacion-de-los-hoteles-al-teletrabajo-y-los-trabajadores-nomadas-1?destination=dashboard
Valoração económica da natureza circundante
O artigo que se enlaça A Natureza não tem preço, mas lho atribuir ajuda à conservar, afirma que atribuir um valor monetário aos serviços que presta a natureza ajuda a conservar esta. Propõe-se que os estabelecimentos de turismo rural determinem um valor para a natureza num espaço circundante e utilizem esse valor como ferramenta de marketing para mostrar a importância dos recursos que as pessoas viajantes terão a sua disposição no estabelecimento. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/valoracion-economica-de-la-naturaleza-circundante-1?destination=dashboard

Marketing de segurança compartilhado

O articulo que se enlaça Afectará esta crise ao modo em que reservamos viagens? afirma que a segurança tem passado a ser o factor prioritário na eleição de hotéis e recomenda realizar promoção em redes sociais sobre as medidas adoptadas pela cada hotel e tentar a busca de recomendações dos primeiros clientes neste sentido. Propõe-se a criação de um sistema de comunicação, compartilhado por vários estabelecimentos de turismo rural, sobre as medidas preventivas adoptadas. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/marketing-de-seguridad-compartido-1?destination=proyectos%2Ftodas
Nicho de mercado: viagens conscientes
Segundo o relatório “Mindful(ness) e turismo: viagens para cuidar” do Centro de Investigação, Divulgação e Inovação Turística (IDITUR) em colaboração com Mindful Travel Destinations, o mindful travel ou viaje consciente é um segmento emergente claramente vinculado com a saúde. Propõe-se desenhar acções de marketing, incluindo a adaptação do produto às necessidades específicas deste segmento, para captar este nicho de mercado. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/nicho-de-mercado-viajes-conscientes-1?destination=proyectos%2Ftodas
Posta em valor da riqueza monumental arbórea
No artigo que se enlaça se identificam 416 árvores em Castilla e León com valor  monumental. Propõe-se identificar e localizar estas instâncias e utilizá-los como parte do marketing dos estabelecimentos de turismo rural próximos.  https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/node/789909/edit
Identificação de recursos de geoturismo na região
A cada vez resulta mais evidente o atractivo dos espaços naturais para os visitantes; ali onde não existam espaços claramente reconhecidos, os estabelecimentos de turismo rural devem se esforçar nos identificar e os pôr em valor, já que o esforço pode se ver recompensado em forma de aumento de visitantes. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/identificacion-de-recursos-de-geoturismo-en-la-region-0?destination=proyectos%2Ftodas
Pôr em marcha um passaporte de sabores associado ao Caminho de Santiago
A imitação da iniciativa desenvolvida em Galiza, o peregrino poderá fazer o Caminho e conhecer sua gastronomia: descobrindo a cozinha, seus ingredientes e encontrando-se com locais que fá-lo-ão participar de sua cultura culinária; aprenderá e descobrirá o sabor da cada povo: verá bem mais que o Caminho, parar-se-á e terá a ocasião de coleccionar sabores e refletir experiências em seu passaporte, e ao final da viagem, terá seu diploma de conhecedor da gastronomia do território. https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/poner-en-marcha-un-pasaporte-de-sabores-asociado-al-camino-de-santiago-1?destination=proyectos%2Ftodas
Posicionamento turismo rural orientado ao mercado nacional
egundo a opinião de experientes e diversos questionários, entre elas a que se enlaça, ao turismo será um dos sectores com uma recuperação mais lenta uma vez que se tenham levantado as medidas de afastamento social. No entanto, o segmento que mais rapidamente recuperar-se-á é o de procedência nacional, já que os viajantes estabelecerão como prioridade viajes curtos e percursos curtos, preferencialmente em veículos particulares.

O turismo rural é, por sua natureza, um destino para viajantes de origem prioritária nacional, pelo qual se encontra numa boa disposição para aproveitar esta tendência recente.

Propõe-se a realização de uma campanha orientada à promoção do turismo rural no mercado nacional e, inclusive, regional, orientada aos primeiros momentos seguintes ao levantamento das medidas do isolamento, potenciando os aspectos diferenciadores do turismo rural: actividades ao ar livre, destinos não massificados, hotéis de pequeno tamanho, cercania, … https://ade.hontza.es/es/entornosrurales/content/posicionamiento-turismo-rural-orientado-al-mercado-nacional-1?destination=proyectos%2Ftodas

Subvenções para o financiamento de projetos destinados a promover a inovação cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)

Podem candidatar freelancers e PME que tenham a sua sede social ou pelo menos um centro de trabalho em Castilla y León. Comunidades de propriedade, sociedades civis, fundações e associações sem fins lucrativos são excluídas.

O beneficiário deve apresentar o pedido de subvenção antes de iniciar o trabalho no projeto.

Os projectos elegíveis consistiriam na prestação de serviços avançados de aconselhamento e assistência técnica destinados a: protecção dos direitos de propriedade industrial, acesso a deduções fiscais para o desempenho de actividades de investigação e desenvolvimento (I&D) e de inovação tecnológica (TI), assessorando a empresa na inovação, a fim de implementar nela um sistema de eficiência produtiva e/ou melhoria organizacional, e assessoria à empresa em inovação em seus processos de gestão e organização através da implementação do soluções de computação em nuvem.

A concessão das subvenções será realizada em sistema licitatório não competitivo de acordo com sua ordem de apresentação, conforme art. 34 da Lei 13/2005, de 27 de dezembro, e se a documentação está completa e levando em conta a disponibilidade orçamentária.

A ajuda consistirá numa subvenção não reembolsável, que será determinada como uma percentagem fixa de 65% a aplicar ao custo elegível, que poderá atingir 75%, dependendo da localização do projeto.

As candidaturas podem ser apresentadas até à publicação do convite para substituir o presente ou a publicação do fechamento do mesmo.

As condições acima são um resumo não exaustivo de natureza consultiva. Para maior precisão, consulte as informações e documentação disponíveis neste link

SERVIÇO DE VIGILÂNCIA COMPETITIVA