Boletim Turismo 15-07-20

Proyecto CRECEER

Pode cadastrar na plataforma de vigilância do projecto  CRECEER em: https://ade.hontza.es/es/user/register. Deve-se ingressar um nome de utente e uma direcção de correio electrónico. A seguir, um administração recebe a solicitação e a valida para outorgar acesso completo à plataforma.

Entre as vantagens de aceder à plataforma figuram:

  • Receber assessoramento para criar seu próprio sistema de vigilância competitiva.
  • Acesso directo às fontes que alimentam o sistema.
  • Acesso a todo o armazém de notícias validadas e comentadas. Há que destacar que as notícias validadas não sempre se incluem nos boletins, já que nestes se faz uma selecção para que não resulte excessivamente volumoso.
  • Definir um sistema próprio de alertas por e-mail para receber novidades.
  • Participar em foros e debates já criados e criar os seus próprios.

Este boletim emite-se de forma periódica no marco do projecto CRECEER, e nele se analisam oportunidades tecnológicas e comerciais que podem contribuir ao desenvolvimento do turismo rural em nossas zonas rurais.

O projecto CRECEER está cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

 

TURISMO RURAL
Convocação serviços personalizados a PMEs dos sectores agroalimentar e turístico dentro do projecto CRECEER (POCTEP)
Os serviços previstos no projecto (Programa de qualidade: Diagnósticos de qualidade e Implementações e Programa de Inovação Tecnológica: Diagnósticos cloud, Diagnósticos de marketing digital e Implementações de marketing) são gratuitos, no entanto estes serviços prestados consideram-se como ajuda em espécie e têm o carácter de ajudas de minimis e estão sujeitas, conforme à actividade que se realize, aos regulamentos europeus que regulam as ajudas de minimis. Data-a limite para a recepção de solicitações é o 17 de julho de 2020.
O turismo rural à cabeça
Segundo o portal de reservas on-line zonasrurales.com, o número de reservas fechadas em alojamento rurais disparou-se até num 78% em maio com respeito ao primeiro trimestre do ano. Inclusive, o número de reservas de maio multiplicaram-se por dois em comparação com o mesmo período do ano anterior. A crise do coronavirus tem provocado que os turistas apostem por passar suas férias de verão em casas completas, em frente a alojamentos por habitações, já que uma das principais preocupações dos viajantes é sua segurança. Vendo esta situação, os alojamentos rurais têm blindado a protecção de seus clientes com uma adaptação aos protocolos de higiene impostos pelo Ministério de Previdência com um objectivo: gerar confiança. O coronavirus não só tem provocado um aumento da segurança nos alojamentos, também sua digitalização, com o uso de Internet como uma oportunidade para aumentar o número de clientes e incrementar os rendimentos.
Estudo sobre o turismo rural pós COVID-19
Estudo que analisa o panorama do turismo rural pós covid-19, tanto desde a perspectiva do viajante como desde a visão dos proprietários de alojamentos rurais. Têm participado mais de 10.000 viajantes e mais de 1.500 proprietários contribuindo sua visão do turismo rural após a pandemia do coronavirus. O 71% dos viajantes interrogados, se finalmente viajam, tem claro que elegerão um destino dentro de Espanha. Um 17% ainda não tem claro o destino de suas férias. Um 9% elegerão um destino dentro de sua comunidade autónoma. O 49% dos viajantes interrogados fazem turismo rural ao menos uma vez ao ano e um 20% faz turismo entre 2 e 3 vezes ao ano. Relativo aos proprietários, seu maior temor é um novo ressurgimento do COVID-19.
Um camping cria uma zona exclusiva para clientes com PCR negativo
O Camping Trillas Platja Tamarit, na província de Tarragona, será um do primeiros alojamento turísticos de Europa em habilitar uma “zona  ultrasegura” à qual só poderão aceder aqueles clientes que aceitem submeter a um teste PCR (para detectar a presença do coronavirus) e dêem negativo.

Comunicação e marketing digital para sobreviver em era-a poscoronavirus

O avanço do coronavirus no mundo empresarial tem vindo a confirmar que as empresas ou se sobem à tendência das novas estratégias de comunicação e marketing digital ou morrem. Não só as estratégias de comunicação têm tido que mudar em tempo real, senão que a digitalização se apoderou do sector. O uso da tecnologia focou-se em melhorar a experiência dos clientes, criando novos canais de comunicação e optimizando os níveis de engagement.
Goberno lança o distintivo ‘Responsible Tourism’
A Secretaria de Estado do Turismo criou o rótulo ‘Turismo Responsável’ para todos os estabelecimentos que seguem as diretrizes de medidas para reduzir o contágio da Covid-19 no setor de turismo, os únicos endossados ​​pelo Ministério da Saúde. É um crachá gratuito, pessoal e intransferível, que deve ser renovado todos os anos e pode ser baixado do site do Ministério da Indústria, Comércio e Turismo após o preenchimento de um formulário no qual o estabelecimento mostra seu compromisso em seguir as diretrizes.
DEBATES
Subvenções para o financiamento de projetos destinados a promover a inovação cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)

Podem candidatar freelancers e PME que tenham a sua sede social ou pelo menos um centro de trabalho em Castilla y León. Comunidades de propriedade, sociedades civis, fundações e associações sem fins lucrativos são excluídas.

O beneficiário deve apresentar o pedido de subvenção antes de iniciar o trabalho no projeto.

Os projectos elegíveis consistiriam na prestação de serviços avançados de aconselhamento e assistência técnica destinados a: protecção dos direitos de propriedade industrial, acesso a deduções fiscais para o desempenho de actividades de investigação e desenvolvimento (I&D) e de inovação tecnológica (TI), assessorando a empresa na inovação, a fim de implementar nela um sistema de eficiência produtiva e/ou melhoria organizacional, e assessoria à empresa em inovação em seus processos de gestão e organização através da implementação do soluções de computação em nuvem.

A concessão das subvenções será realizada em sistema licitatório não competitivo de acordo com sua ordem de apresentação, conforme art. 34 da Lei 13/2005, de 27 de dezembro, e se a documentação está completa e levando em conta a disponibilidade orçamentária.

A ajuda consistirá numa subvenção não reembolsável, que será determinada como uma percentagem fixa de 65% a aplicar ao custo elegível, que poderá atingir 75%, dependendo da localização do projeto.

As candidaturas podem ser apresentadas até à publicação do convite para substituir o presente ou a publicação do fechamento do mesmo.

As condições acima são um resumo não exaustivo de natureza consultiva. Para maior precisão, consulte as informações e documentação disponíveis neste link

SERVIÇO DE VIGILÂNCIA COMPETITIVA

Pode visualizar boletins anteriores fazendo clique AQUI

Para mais informação sobre o projecto CRECEER visite nosso site http://www.creceer.org/pt/inicio-2/

Proyecto CRECEER

Se deseja não receber mais boletins, envie um correio à direcção info@creceer.org com o assunto “BAIXA BOLETIM”.