Boletim Turismo 01-10-19

Proyecto CRECEER

Este boletim emite-se de forma periódica no marco do projecto CRECEER, e nele se analisam oportunidades tecnológicas e comerciais que podem contribuir ao desenvolvimento do turismo rural em nossas zonas rurais.

O projecto CRECEER está cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

 

TURISMO RURAL
Fabricando experiências: elementos essenciais para desenhar produtos turísticos innovadores
No contexto de uma economia global, conectada e consciente da sustentabilidade social, económica e ambiental, a indústria do turismo –que cresce a ritmo constante- enfrenta novos desafios. Por um lado, as aglomerações e o colapso de destinos e produtos tradicionais; por outro, as novas exigências dos turistas, a cada vez mais interessados em rotas mais autênticas, produtos mais inovadores e sensações mais vibrantes. A cercania à natureza e aos produtores, proporcionam matérias primas aos estabelecimentos de turismo rural para desenhar experiências impactantes e acercar-se assim às novas demandas dos visitantes
Como fazer sentir especial ao turista quando visita teu site
11 ideias básicas e singelas para fazer sentir especial ao turista quando visita teu site: 1) Oferece vantagens exclusivas por reservar pelo canal directo. 2) Passa do eu ao tu. 3) Dirige-te directamente a teu cliente ideal. 4) Destaca serviços especiais. 5) Faz-lhe sentir que vai desfrutar de uma experiência diferente. 6) Explica como chegar a teu alojamento. 7) Promove teu destino turístico. 8) Pede a tua equipa que colabore. 9) Ajuda dos depoimentos. 10) Se teu hotel tem uma grande história, conta-a. 11) Evita estereotipos.
Os geoparques espanhóis, grandes aliados do impulso rural e do desenvolvimento local segundo a Unesco
A secretária geral da Comissão Nacional Espanhola de Cooperação da Unesco, Belén Llera, sublinhou na semana passada o “importante papel” que desempenham os geoparques espanhóis no desenvolvimento local. “São uma espécie de laboratório da Agenda 2030, territórios dimensionados nos que se estão a levar a cabo os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”, assegurou Llera, que se deslocou até Villadiego (Burgos) para participar na inauguração das V Jornadas Abertas do Foro dos Geoparques Espanhóis. Uma fonte mais de possíveis actividades para atrair visitantes ao turismo rural.
Relatório: assim afectam à indústria hoteleira as novas gerações
Braintrust, consultora multinacional espanhola especializada entre outros sectores no turismo, tem analisado o impacto que a chegada das novas gerações de viajantes está a ter na indústria hoteleira. Principais conclusões:

Um 33% da despesa da viagem dos jovens dedica-se ao alojamento, onde desfrutar de experiências e a boa comunicação com outros pontos de interesse são critérios valorizados pelos jovens à hora de eleger, considerando dito alojamento um médio e não um fim em si mesmo

Os novos conceitos de hotel (“eco friendly”,  gastro-hotéis e  “only adults”) têm um maior nível de aceitação para os nascidos a partir de 1980, bem como os “hostels”, moradias turísticas e  “bed & breakfast”.

O uso da tecnologia domina neste público que, em quase um 30 por cento, organiza sua vida graças aos dispositivos electrónicos, compra serviços on-line em quase um 70 por cento, e mais da metade gere suas viagens através de aplicações móveis.

Estas gerações viajam ao longo de todo o ano, supondo julho e agosto menos de um terço de suas viagens e permitindo às empresas turísticas conseguir a almejada dessazonalização.

A propensão que têm “millennials” e membros da Geração Z ao uso da tecnologia também se vê refletida na organização e gestão de suas viagens, sendo os que maior uso do móvel fazem, já seja para procurar restaurantes, direcções ou lugares de interesse, bem como para compartilhar sua experiência em redes sociais.

Para o turismo rural, estas tendências supõem luzes e sombras, já que, por uma parte, é positivo a possibilidade de  dessazonalizar a ocupação, mas, por outra, são mais urbanos que as gerações precedentes. Cabe fazer um esforço de comunicação especificamente dirigido a este colectivo, difundindo, em general, as bondades do turismo rural.

O geoturismo oferece oportunidades para o desenvolvimento das zonas rurais e contribui a fixar a população ao território

Os alcantilados de Cabo de Gata, o cerro do Ferro ou a gruta dos Morcegos são alguns dos espaços mais visitados por turistas e amantes da natureza em Andaluzia; uns enclaves que, além de possuir uma grande beleza e valor natural, são geradores de riqueza. A cada vez resulta mais evidente o atractivo dos espaços naturais para os visitantes; ali onde não existam espaços claramente reconhecidos, os estabelecimentos de turismo rural devem se esforçar os identificar e os pôr em valor, já que o esforço pode se ver recompensado em forma de aumento de visitantes.
O enoturismo ganha seguidores entre os jovens e viajantes “singles”
Depois de vários anos de incrementos continuados, a despesa média por dia realizado pelo enoturista em destino estabilizou-se, até situar-se em 160,21 euros ao dia -161,88 euros um ano dantes-, apesar de que quase todas as partidas relacionadas com ele têm aumentado ligeiramente, sobro tudo em restauração (41,81 euros ao dia) e alojamento (36,16 euros ao dia). Assim se recolhe no décimo ‘Relatório sobre a demanda do turismo do vinho’, realizado pelo Observatório Turístico das Rotas do Vinho de Espanha e publicado pela Associação Espanhola de Cidades do Vinho (ACEVIN). Entre outras novidades, o estudo aprecia um maior interesse dos jovens e dos viajantes “singles” pelo enoturismo.
Subvenções para o financiamento de projetos destinados a promover a inovação cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)

Podem candidatar freelancers e PME que tenham a sua sede social ou pelo menos um centro de trabalho em Castilla y León. Comunidades de propriedade, sociedades civis, fundações e associações sem fins lucrativos são excluídas.

O beneficiário deve apresentar o pedido de subvenção antes de iniciar o trabalho no projeto.

Os projectos elegíveis consistiriam na prestação de serviços avançados de aconselhamento e assistência técnica destinados a: protecção dos direitos de propriedade industrial, acesso a deduções fiscais para o desempenho de actividades de investigação e desenvolvimento (I&D) e de inovação tecnológica (TI), assessorando a empresa na inovação, a fim de implementar nela um sistema de eficiência produtiva e/ou melhoria organizacional, e assessoria à empresa em inovação em seus processos de gestão e organização através da implementação do soluções de computação em nuvem.

A concessão das subvenções será realizada em sistema licitatório não competitivo de acordo com sua ordem de apresentação, conforme art. 34 da Lei 13/2005, de 27 de dezembro, e se a documentação está completa e levando em conta a disponibilidade orçamentária.

A ajuda consistirá numa subvenção não reembolsável, que será determinada como uma percentagem fixa de 65% a aplicar ao custo elegível, que poderá atingir 75%, dependendo da localização do projeto.

As candidaturas podem ser apresentadas até à publicação do convite para substituir o presente ou a publicação do fechamento do mesmo.

As condições acima são um resumo não exaustivo de natureza consultiva. Para maior precisão, consulte as informações e documentação disponíveis neste link

SERVIÇO DE VIGILÂNCIA COMPETITIVA

Pode visualizar boletins anteriores fazendo clique AQUI

Para mais informação sobre o projecto CRECEER visite nosso site http://www.creceer.org/pt/inicio-2/

Proyecto CRECEER

Se deseja não receber mais boletins, envie um correio à direcção info@creceer.org com o assunto “BAIXA BOLETIM”.