Boletim Agroalimentario 01-02-20

Proyecto CRECEER

Este boletim emite-se de forma periódica no marco do projecto CRECEER, e nele se analisam oportunidades tecnológicas e comerciais que podem contribuir ao desenvolvimento do turismo rural em nossas zonas rurais.

O projecto CRECEER está cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

 

AGROALIMENTARIO RURAL
O sector de alimentação e bebidas renova o 40% de seu top tem em 10 anos
Só seis das empresas de alimentação e bebidas que figuravam no  top tem de 2009 se mantêm na actualidade entre as dez primeiras por facturação.
O futuro da alimentação
Se em outros muitos sectores de actividade a transformação digital tem avançado nos últimos anos e existe uma consciência estendida sobre seus benefícios, no âmbito da alimentação, as empresas bascas estão ainda numa fase inicial. Tal e como recolhe o relatório, isto se deve sobretudo às características do sector, formado principalmente por empresas pequenas (um 75% conta com menos de 10 empregados), e também por sua complexidade, já que são produtos muito diferentes e de rápida validade. Segundo os dados, o 48% das empresas alimentares considera inexistente a implementação de tecnologias relacionadas com a Indústria 4.0, enquanto um 36% situa-se num nível de principiante. Mesmo assim, existem grandes diferenças em função do tamanho das companhias e, em general, 1 em cada 3 tem previsto investir na transformação digital durante os próximos anos..
Consumimos como pensamos? Expectativas em frente às marcas
Hoje em dia é maior a eleição de marcas em base a valores, afirmação com a que se identificam o 24% dos cidadãos, enquanto o 18% dos consumidores da prioridadea a qualidade-aprecio (em frente ao 30% de 2015), segundo se desprende do III Estudo Marcas com Valores: ¨O poder do consumidor-cidadão¨, impulsionado pela consultora 21gramos. Uma investigação colaborativa que coloca ao consumidor numa posição de responsabilidade e poder sem precedentes, com efeito directo e imediato nas empresas.
Marketing digital no sector enológico
Algumas adegas estão a entender a oportunidade que supõe o marketing digital para construir sua reputação e notoriedade de marca, ao mesmo tempo que para impulsionar as vendas. Mas ficam muitas oportunidades por aproveitar, como já estão a fazer sectores como o grande consumo ou o turismo.

As proteínas animais mantêm sua predominância

As fontes de proteínas a base de plantas estão a receber todo a atenção na actualidade. Desde hambúrgeres falsas até recheados de burrito a base de soja, os substitutos da carne parecem estar a empurrar as proteínas animais a um lado. No entanto, os dados mostram que as proteínas animais ainda dominam. Um estudo de 2018 realizado por The NPD Group mostrou que o 14 por cento dos consumidores estadounidenses usa regularmente proteínas de origem vegetal em seusdietas … o que significa que o 86 por cento evidentemente depende principalmente de proteínas animais.
5 tendências que marcarão a próxima década em alimentação
1. Novos modelos de negócio: as companhias de e-commerce ou de entrega a domicílio de comida, entre outras, estão a revolucionar a indústria alimentar. Os canais tradicionais de compra perderão peso pela demanda de personalização, prontidão e cercania por parte dos consumidores.

2. O consumidor consciente:  os consumidores também apostarão por produtos frescos e minimamente processados, pela transparência sobre o processo de elaboração e pela disponibilidade de informação por parte das marcas.

3. A sustentabilidade como eixo: factores como o crescimento da população mundial e a escassez de recursos como o água marcarão na próxima década a maneira na que a indústria alimentar produz e transporta os alimentos.

4. Revolução baseada nas plantas: o interesse por parte dos consumidores na saúde, a sustentabilidade e a ética dará como resultado uma série de inovações em alimentação e novos produtos produzidos com plantas, tendência que se começa a ver por exemplo com o consumo de proteína vegetal.

5. Food  tech: o movimento food  tech faz referência à aplicação de novas tecnologias e digitalização do sector da alimentação. Na próxima década veremos como os robôs, as impressoras 3D, o internet das coisas ou as lojas automatizadas fazem parte de nosso dia a dia.

Subvenções para o financiamento de projetos destinados a promover a inovação cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)

Podem candidatar freelancers e PME que tenham a sua sede social ou pelo menos um centro de trabalho em Castilla y León. Comunidades de propriedade, sociedades civis, fundações e associações sem fins lucrativos são excluídas.

O beneficiário deve apresentar o pedido de subvenção antes de iniciar o trabalho no projeto.

Os projectos elegíveis consistiriam na prestação de serviços avançados de aconselhamento e assistência técnica destinados a: protecção dos direitos de propriedade industrial, acesso a deduções fiscais para o desempenho de actividades de investigação e desenvolvimento (I&D) e de inovação tecnológica (TI), assessorando a empresa na inovação, a fim de implementar nela um sistema de eficiência produtiva e/ou melhoria organizacional, e assessoria à empresa em inovação em seus processos de gestão e organização através da implementação do soluções de computação em nuvem.

A concessão das subvenções será realizada em sistema licitatório não competitivo de acordo com sua ordem de apresentação, conforme art. 34 da Lei 13/2005, de 27 de dezembro, e se a documentação está completa e levando em conta a disponibilidade orçamentária.

A ajuda consistirá numa subvenção não reembolsável, que será determinada como uma percentagem fixa de 65% a aplicar ao custo elegível, que poderá atingir 75%, dependendo da localização do projeto.

As candidaturas podem ser apresentadas até à publicação do convite para substituir o presente ou a publicação do fechamento do mesmo.

As condições acima são um resumo não exaustivo de natureza consultiva. Para maior precisão, consulte as informações e documentação disponíveis neste link

SERVIÇO DE VIGILÂNCIA COMPETITIVA

Pode visualizar boletins anteriores fazendo clique AQUI

Para mais informação sobre o projecto CRECEER visite nosso site http://www.creceer.org/pt/inicio-2/

Proyecto CRECEER

Se deseja não receber mais boletins, envie um correio à direcção info@creceer.org com o assunto “BAIXA BOLETIM”.