Boletim Turismo pt 5b/19

 

Proyecto CRECEER

Este boletim emite-se de forma periódica no marco do projecto CRECEER, e nele se analisam oportunidades tecnológicas e comerciais que podem contribuir ao desenvolvimento do turismo rural em nossas zonas rurais.

O projecto CRECEER está cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

TURISMO RURAL
Revenue management aplicado às primeiras fases do desenho hoteleiro

Uma simples mudança no número de categorias de habitações manejadas por um hotel, pode significar um aumento dentre o 10% e o 15% no  ADR (tarifa média diária). Ainda que o pensamento geral é que este tipo de segmentação só se pode aplicar a grandes complexos hoteleiros de luxo, um estudo levado a cabo por  Xotels num pequeno hotel urbano de 34 habitações, demonstra que também se pode aplicar a estabelecimentos urbanos e de baixo custo. Em muitos casos, é suficiente com acrescentar uma característica adicional à categoria já estabelecida. Isso se, fazendo finca-pé no potencial valor acrescentado para o cliente.

O impacto económico do enoturismo incrementa-se um 20,5 %

O negócio relacionado com o enoturismo tem experimentado um forte crescimento em 2018, chegando quase até 81 milhões de euros, já que somente o negócio associado às visitas a adegas e museus do vinho, incrementou-se um 20,5% em 2018 sobre o ano anterior, segundo conclui o XI Relatório Anual sobre as Visitas a Adegas e Museus do Vinho associados a Rotas do Vinho de Espanha, elaborado pela Associação Espanhola de Cidades do Vinho (ACEVIN). A procedência dos visitantes segue sendo maioritariamente espanhola, o 74% do total, com um ligeiro crescimento sobre as cifras do 2017. Aproveitar a demanda actual do enoturismo é uma excelente oportunidade para nossos estabelecimentos de turismo rural.

Agricultura com turismo

Em general, o  agroturismo, a combinação do alojamento de hóspedes com actividades agrícolas e ganadeiras, considera-se  beneficioso, mas de escasso impacto. No entanto, os experientes prevêem um grande futuro para esta combinação entre a agricultura e a indústria do turismo, já que pensam que não estão suficientemente estudados os impactos económicos em longo prazo do  agroturismo. E é que a participação em actividades de  agroturismo muda de forma importante os modelos de consumo de alimentos como cereais, vegetais, frutas, carne e pescado, a favor de elementos mais ecológicos e naturais.

Relatório: estão os hotéis preparados para incorporar a tecnologia móvel?

Um relatório da Oracle revela questões surpreendentes sobre a aplicação da tecnologia móvel nos hotéis. Assim, um  91% dos executivos de hotéis interrogados, consideram a tecnologia móvel crítica para melhorar a experiência dos hóspedes e os fidelizar. Só um 31% deles confia na capacidade de suas organizações para utilizar essas tecnologias de forma correcta. O relatório também identifica três áreas críticas no uso destas tecnologias em hotéis: 1) oferecer wifi aos hóspedes em toda a propriedade; 2) empregar aplicações móveis desenhadas com vista no cliente, para melhorar sua experiência; e 3) melhorar o fluxo de trabalho operativo diário da equipa do hotel.

O turismo rural percebe a  desaceleración da economia

Segundo as cifras do Instituto Nacional de Estatística, as pernoites neste tipo de alojamento cresceram só um 3,9% em 2018, em frente aos elevados crescimentos de 11,2% de 2017 e o 13,9% de 2015. Mas, longe de acomodar numa cifra, conquanto modesta, de crescimento, o turismo rural, que sofre uma elevada usurpação e carece de falta de profissionalização, pode se ver impulsionado a uma crise da que seria muito complexo se recuperar. Pode ser o momento de aproveitar as circunstâncias para melhorar a acessibilidade dos estabelecimentos, de unir ofertas complementares de actividades na zona, tanto para adultos como para meninos, oferecer serviços diferenciais ao lazer e o descanso dos visitantes e trabalhar na aceitação de animais de companhia.

A inovação no sector hoteleiro

Um estudo da Ecole Hôtelière de  Lausanne confirma na indústria hoteleira a tendência geral já demonstrada em outros sectores: as empresas com elevada inovação tecnológica superam em rendimento, de forma significativa, às empresas com baixa inovação tecnológica.

Subvenções para o financiamento de projetos destinados a promover a inovação cofinanciados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)

Podem candidatar freelancers e PME que tenham a sua sede social ou pelo menos um centro de trabalho em Castilla y León. Comunidades de propriedade, sociedades civis, fundações e associações sem fins lucrativos são excluídas.

O beneficiário deve apresentar o pedido de subvenção antes de iniciar o trabalho no projeto.

Os projectos elegíveis consistiriam na prestação de serviços avançados de aconselhamento e assistência técnica destinados a: protecção dos direitos de propriedade industrial, acesso a deduções fiscais para o desempenho de actividades de investigação e desenvolvimento (I&D) e de inovação tecnológica (TI), assessorando a empresa na inovação, a fim de implementar nela um sistema de eficiência produtiva e/ou melhoria organizacional, e assessoria à empresa em inovação em seus processos de gestão e organização através da implementação do soluções de computação em nuvem.

A concessão das subvenções será realizada em sistema licitatório não competitivo de acordo com sua ordem de apresentação, conforme art. 34 da Lei 13/2005, de 27 de dezembro, e se a documentação está completa e levando em conta a disponibilidade orçamentária.

A ajuda consistirá numa subvenção não reembolsável, que será determinada como uma percentagem fixa de 65% a aplicar ao custo elegível, que poderá atingir 75%, dependendo da localização do projeto.

As candidaturas podem ser apresentadas até à publicação do convite para substituir o presente ou a publicação do fechamento do mesmo.

As condições acima são um resumo não exaustivo de natureza consultiva. Para maior precisão, consulte as informações e documentação disponíveis neste link

SERVIÇO DE VIGILÂNCIA COMPETITIVA

Pode visualizar boletins anteriores fazendo clique AQUI

Para mais informação sobre o projecto CRECEER visite nosso site http://www.creceer.org/pt/inicio-2/

Proyecto CRECEER